Fechar
(31) 3283-9837
(31) 99293-0160

Blog

Uso indiscriminado de colírios pode causar doenças

05/03/2018

Você já fez uso de algum tipo de medicamento sem prescrição médica? Não é novidade que esse mau hábito faz o Brasil configurar entre os primeiros países que mais se automedica.

Mas e aquelas gotinhas de colírio apenas para amenizar o desconforto gerado pela poluição tão comum nas grandes cidades de hoje em dia? Não diferente de qualquer outro tipo de medicamento, o uso indiscriminado de colírio também pode causar sérios danos à saúde tais como glaucoma e até cegueira.

Quando diagnosticadas ainda no início, algumas doenças oculares podem facilmente ser tratadas com acompanhamento médico especializado. Por outro lado, o uso contínuo de colírio pode amenizar os sintomas camuflando uma real necessidade de intervenção médica. Nestes casos, a automedicação pode gerar danos irreparáveis à visão.

Entre os tipos em que se deve tomar mais cuidado estão os anti-inflamatórios, a base de esteroides corticoides, e os antibióticos. Este último, utilizado de forma inadequada, ao invés de eliminar a bactéria causadora da irritação pode torná-la mais resistente gerando problemas mais sérios e até irreparáveis.

Existem também os chamados antiglaucomatosos prescritos especificamente para tratamentos de pacientes com algum nível de glaucoma. Caracterizada por aumentar a pressão intraocular, esta doença causa o enrijecimento do globo ocular e danos no nervo óptico levando a perda gradativa da visão podendo chegar a perda total da mesma. O problema neste caso pode estar no comportamento dos pacientes que o utilizam. O fato de terem sido prescritos por autoridade médica, muitas vezes levam o usuário a utilizá-lo de forma indiscriminada causando um efeito contrário ao indicado pelo médico. O uso em quantidade excessiva deste medicamento acaba estimulando o aumento da pressão intraocular agravando o problema. Como se diz “o tiro pode sair pela culatra”.

Também não se engane com colírios que parecem inofensivos utilizados apenas para aliviar pequenas irritações e vermelhidão. Os chamados vasoconstritores podem ser tão perigosos quanto os demais se utilizados continuamente e de forma inadequada. Os vasos sanguíneos são elásticos e contraem-se e dilatam-se de acordo com a necessidade. A utilização de forma errada deste tipo de colírio pode levar a uma reincidência de uso cada vez mais frequente e em maior quantidade para se obter o mesmo efeito.

Um outro tipo de colírio que tem ganhado popularidade são os chamados lágrimas artificiais. Utilizado em regiões onde o clima é seco e por pessoas que passam longos períodos em locais com ar condicionado ou em frente a computadores. A cada piscadela, o olho é lubrificado mantendo a umidade natural do olho. Porém, o hábito de se passar horas diante da tela leva o usuário a uma menor quantidade de piscadas e consequentemente ao ressecamento. Outros medicamentos também contribuem para um ressecamento anormal dos olhos. São eles: antidepressivos, remédios para dormir, pílulas anticoncepcionais, descongestionantes, anti-histamínicos, alguns anestésicos, reguladores de transtornos digestivos, medicamentos para a hipertensão arterial, entre outros.

Abra bem os olhos: o colírio, assim como todo fármaco, deve ser utilizado somente sob prescrição médica e seguindo as orientações e dosagens exatamente como prescrito. Se você achava que essas gotinhas eram totalmente inofensivas passe a tratar o colírio com o mesmo cuidado com que se deve ter com qualquer outro tipo de medicamento: mantenha fora do alcance de crianças.

CONTATO

Rua Santa Rita Durão, Nº:20 - 8º Andar Funcionários - Belo Horizonte - MG

(Um quarteirão acima do Ed. Life Center)


Telefones:

(31) 3283-9837

(31) 3283-9746

(31) 3283-9592

© Clínica de Olhos Vérdere.